Negócios

‘Teoria do maior otário’, diz Bill Gates sobre criptomoedas e NFTs

Fundador da Microsoft disse que não se empolga com ativos digitais, que não oferecem valor real para a sociedade

Por Redação com sites 15/06/2022 16h04
‘Teoria do maior otário’, diz Bill Gates sobre criptomoedas e NFTs

O bilionário Bill Gates conquistou para si a reputação de um oráculo sobre novidades de tecnologia. O cofundador da Microsoft ajudou a mudar o mundo da computação nas últimas décadas e segue na ativa entre o que há de mais inovador. No entanto, não se diz um entusiasta de ativos digitais, que viraram moda recentemente.

Gates participou de uma conferência na terça-feira 14 e caracterizou criptomoedas e NFTs como um mercado impulsionado exclusivamente pelo sentimento, e não por valor.

“Como uma classe de ativos, isso é 100% baseado na teoria do maior tolo — que alguém vai pagar mais por isso do que eu”, disse o bilionário.

A teoria do maior tolo é uma prática na qual as pessoas investem em ativos supervalorizados, independentemente de seu valor real, na esperança de que outra pessoa apareça e pague ainda mais.

O veterano do mundo da tecnologia também debochou da moda do NFT, sigla para o termo ‘token não fungível’, que são códigos numéricos com registro de transferência digital que garantem autenticidade a itens colecionáveis. Gates citou a imagem famosa de um macaco entediado que mexeu com esse mercado recentemente.

“Obviamente, imagens digitais de rostos de macacos vão melhorar imensamente o mundo”, disse, sarcasticamente.

O empresário já havia criticado o universo das criptomoedas em outras oportunidades, usando o mesmo argumento da falta de valor real.

“O valor da criptomoeda é apenas o que uma pessoa decide que outra vai pagar por ela, portanto, não agregando à sociedade, como outros investimentos”, disse Bill Gates, em maio.