TÁ NA BULA

Sobre saúde

Lesão no cóccix, apesar de parecer simples, é delicada e requer paciência na recuperação

Especialista da Sociedade Brasileira de Trauma Ortopédico explica

Por Redação 23/09/2022 15h03
Lesão no cóccix, apesar de parecer simples, é delicada e requer paciência na recuperação

Recentemente, a cantora britânica Adele contou em entrevista sobre uma lesão na coluna, na região do cóccix, ao cair no chão saindo do banheiro, após se assustar com uma brincadeira do filho, de 9 anos. O incidente foi complexo para a artista, que já tinha sofrido uma lesão nas costas durante a adolescência.

O cóccix fica logo abaixo do sacro (osso achatado maior que o cóccix, de formato triangular, localizado abaixo da última vértebra lombar) e representa a pontinha da coluna. As estruturas têm a função de suportar o peso e estabilizar o tronco, com papel fundamental para conseguir se sentar, se manter em pé e caminhar.

O presidente da Sociedade Brasileira de Trauma Ortopédico (TRAUMA), Dr. Vincenzo Giordano Neto, explica que, apesar de parecer algo simples, impactos nessa área do cóccix são “bem chatinhos”, inclusive podendo resultar em fraturas que são subdiagnosticadas e não tratadas. Cerca de 60% das fraturas sacrais passam despercebidas no atendimento do paciente.

De acordo com o especialista, as mulheres estão no grupo de risco da fratura de cóccix, em razão de terem a pelve mais larga. “Há casos em que é possível ter algum tipo de fratura durante o parto, já que o cóccix é um osso localizado na região próxima ao canal do parto”, explica, completando que idosos também tem maior probabilidade, em função da idade, já que os ossos são mais fracos e a massa muscular é reduzida, além de apresentarem maior risco de quedas.

O presidente do TRAUMA explica que por se tratar de uma região delicada, o tratamento de fratura nesse local é lento e requer muita paciência. “O paciente precisará ficar de repouso e evitar atividades muito intensas. A única medida é controlar a dor até que o osso cure totalmente, com anti-inflamatórios e analgésicos. Esse tipo de lesões pode demorar até um ano para normalizar”, fala o médico”. “Ao sofrer uma queda que, aparentemente não causou nenhum dano, mas as dores persistirem e impactar em tarefas simples do dia a dia, busque um especialista para que possa identificar o problema e indicar o tratamento mais adequado”, conclui.