Gastronomia

Inspirado no café, Observatório promove o 2º Festival da Farofa

Evento será realizado no dia 30 de setembro, a partir das 11 horas, e pode ser acompanhado no canal YouTube do OPANES

Por Redação 20/09/2022 15h03
Inspirado no café, Observatório promove o 2º Festival da Farofa

Um mergulho em novas criações gastronômicas, preparos e interpretações da farofa, tudo com base no café, é o que promete a segunda edição do Festival da Farofa – Farofa com Café. Desta vez, a turma do OPANES (Observatório do Patrimônio Gastronômico do Nordeste e Espírito Santo) vai usar o talento em preparos salgados e doces, não só com a farinha de mandioca, sempre presente, mas também com outras diferentes bases das farofas: farinha de milho, de rosca e de sêmola. Muita coisa boa nascida da personalidade, charme e história de cada cultura local.

Delícias como a farofa pérola negra, da Bahia, com farinha de mandioca, amendoim caramelizado, gengibre, cebola roxa e, lógico, café; a farofa de chips de banana pacovan do Ceará; a farofa de coco do Espírito Santo; a farofa mãe terra de Sergipe, com tapioca e castanha; a farofa com café da Paraíba, com farinha de milho, carne caprina e tripa frita regada com café coado; do Rio Grande do Norte, a farofa potiguar com café, que leva camarão, semente de jerimum, caroço de jaca e castanha de caju.


Vai ter também a farofa de sapucaia e café do Piauí, a farofa banafé de Alagoas, que como o nome já diz, leva banana e café; a farofa nibs de café, de Pernambuco, feita com pão amanhecido e grãos de café triturados, bacon, queijo parmesão ralado, manteiga de garrafa, tomilho, pimenta do reino preta moída e sal moído e do Maranhão vem a farofa de espécie, que leva coco, pistache, castanha do Pará, passas e lâminas de amêndoa. E isso é só uma mostra. Tem muito mais, já que a maioria dos estados fez um concurso entre os alunos e montou um leque de opções em farofas. Difícil perder esse verdadeiro espetáculo.

Para ver, aprender e depois comer, basta acompanhar a live que será transmitida no dia 30 de setembro, às 11 horas, no canal YouTube do observatório (bit.ly/canal-opanes).

CONHEÇA O OPANES

O Observatório do Patrimônio Gastronômico do Nordeste e Espírito Santo - OPANES, sob a coordenação e execução do SENAC, propõe ações de pesquisa e de documentação sobre as cadeias produtivas, os sistemas alimentares e demais temas referentes a comida, ingredientes e cozinhas locais, nos cenários da biodiversidade, da história e dos patrimônios culturais. Ainda, reúne acervos que possam orientar projetos, interpretações e experiências pedagógicas no campo da comida e da cultura.

Um comportamento social e valorativo da diversidade de processos e técnicas culinárias, dos locais e ambientes públicos, como feiras, mercados, festivais e festas, do agroartesanal e das tendências gastronômicas. Oferece um olhar para a sustentabilidade, a soberania alimentar, a segurança nutricional e demais temas que integram o amplo e diverso contexto da relação homem e meio-ambiente.