Notícias

Pilar inova e planeja construir parque aquático no modelo BTS

Por Da Redação com Ascom-Pilar com Da Redação com Ascom-Pilar 16/03/2022 08h08 - Atualizado em 16/03/2022 08h08
Pilar inova e planeja construir parque aquático no modelo BTS
Modelo BTS de construção preza pela economia nos gastos públicos - Foto: Divulgação

Locação sob medida, ou built to suti (BTS sigla em inglês), é o modelo de investimento público que começa a ser adotado pelo país por gestores e tem sido discutido pelo Município do Pilar como opção ideal para construção de um parque aquático para a cidade que, apesar do cenário econômico de contenção de gastos, tem dotado a cidade de novas escolas, espaços de convivência e lazer, postos de saúde, entre outros equipamentos públicos.

“Vamos construir um parque aquático no modelo BTS, que é relativamente novo no Brasil. É uma forma de a gestão preservar seu caixa e garantir mais qualidade às obras e serviços públicos. Estive em São Paulo para conhecer o projeto do parque e, em breve, trarei mais informações a respeito. Será uma obra importantíssima para fomentar o turismo local, estimulando, assim, o progresso do nosso município e de todo
o estado”, conta o prefeito Renato Filho que, por meio de lei que regule esse modelo de contratação, quer viabilizar novos e grandes investimentos para o Município.

Além de evitar altos investimentos, o modelo – que será implementado via projeto já encaminhado à Câmara de  Vereadores, para criação de uma empresa pública de ativos – busca conferir mais celeridade à execução das obras contratadas pela prefeitura.

Vantagens são inúmeras


Segundo especialistas, as vantagens para a administração pública são inúmeras. Vão desde a redução do investimento inicial ao pagamento pela posse ou amortização somente após o início da utilização do imóvel. O Governo de Rondônia, por exemplo, assinou contrato, em janeiro deste ano, para a construção do primeiro hospital de urgência e emergência do país no modelo BTS.

‘Vários estados já estão querendo fazer como Rondônia, recorrendo ao modelo built to suit pela qualidade da obra e rapidez da construção, além da inclusão da manutenção predial. Isso também faz com que a empresa construa com material ‘de primeira’. É algo moderno, eficaz e eficiente”, atesta o secretário de Saúde de Rondônia, Fernando Máximo.

Já no Maranhão, o Tribunal de Justiça também aprovou o modelo BTS para erguer, em parceria com o governo estadual, cinco edifícios funcionais numa área de 58 mil m². O denominado Complexo Cidade da Justiça vai concentrar, além da sede do tribunal, a Procuradoria Geral do Estado, a Defensoria Pública, o Tribunal Regional do Trabalho e a Seção Judiciária da Justiça Federal.