Notícias

Em culto na Câmara, Bolsonaro afirma que luta contra o mal

Atividade foi organizada pela Frente Parlamentar Evangélica e reuniu dezenas de pessoas nesta quarta-feira

Por Revista Oeste 03/08/2022 13h01
Em culto na Câmara, Bolsonaro afirma que luta contra o mal
Bolsonaro em culto na Câmara dos Deputados - Foto: Wilton Júnior/Agência Estadão

O presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), candidato à reeleição, afirmou na manhã desta quarta-feira,3, em um culto na Câmara dos Deputados, que tem pela frente uma “luta do bem contra o mal”, ao se referir à disputa pela reeleição à Presidência da República. Chamado de Culto de Santa Ceia, a atividade organizada pela Bancada Evangélica ocorreu no auditório Nereu Ramos, na Câmara dos Deputados, e reuniu dezenas de pessoas.

“Sabemos o que temos pela frente. Uma luta do bem contra o mal, como vem acontecendo em outros países que tomaram uma certa direção. O que outros países sofrem, nós temos de buscar maneiras de não passar pelo mesmo. Peço a Deus todos os dias que o nosso povo não sinta as dores do comunismo”, afirmou o presidente.

Durante o culto na Câmara, que é considerado o mais sagrado da fé cristã evangélica, Bolsonaro lembrou que sua aproximação com a Bancada Evangélica foi feita de forma mais intensa a partir de 2010, embora ele tenha iniciado sua vida parlamentar ainda em 1991. Bolsonaro falou ainda sobre a facada que foi vítima, em Juiz de Fora (MG), durante a campanha eleitoral de 2018. “Acredito muito nos médicos, mas quem me salvou foi a mão de Deus”, afirmou o presidente.

Diante da Bancada Evangélica, o presidente defendeu no culto as pautas prioritárias da bancada, como a defesa da família tradicional e as pautas de costumes.

“Aqueles que falam de ideologia de gênero com a maior naturalidade, nós não podemos admitir que crianças com cinco, seis anos de idade sejam sexualizadas em sala de aula. Afinal de contas, essas crianças são verdadeiramente o nosso patrimônio”, disse o presidente, que completou: “Nós somos a maioria. Nós somos do bem e venceremos essa batalha. Não por nós, mas por nossos filhos e por tudo aquilo que nós podemos fazer pelo nosso Brasil”.