Alagoas

EDUCAÇÃO

Escola Estadual de Ibateguara atinge o melhor Ideb do Ensino Médio em Alagoas

Com cerca de 800 estudantes matriculados, a unidade escolar registrou a nota de 6,2 no índice que mede de 0 a 10 o desempenho da educação básica no país

Por Redação 24/11/2022 09h09
Escola Estadual de Ibateguara atinge o melhor Ideb do Ensino Médio em Alagoas

A Escola Estadual Monsenhor Luís Carlos de Oliveira Barbosa, do município de Ibateguara, atingiu a melhor nota do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB-2021), com a expressiva média de 6,2 na etapa do Ensino Médio. Com o resultado, a unidade escolar da Zona da Mata alagoana, que conta com pouco mais de 800 estudantes matriculados, fica à frente de grandes centros urbanos como Maceió e Arapiraca.


Os resultados do Ideb 2021 foram calculados a partir do desempenho obtido pelos alunos que participaram das provas da edição 2021 do Saeb [Sistema de Avaliação da Educação Básica] e das taxas de aprovação, calculadas com base nas informações prestadas ao Censo Escolar 2021.

Como uma ferramenta que atua no acompanhamento das metas de qualidade da educação, ele indica com uma média de 0 a 10, o desempenho das escolas de níveis fundamental e médio. Esse monitoramento é realizado a cada dois anos pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), com o objetivo de avaliar o desenvolvimento das unidades de ensino público e privado, para diagnosticar os índices da educação básica no Brasil.

“O Ideb 2021 aconteceu durante um dos períodos mais difíceis da história da Educação, quando escolas do Brasil e do mundo tiveram que aderir ao ensino remoto. Foi desafiador para todos nós, em especial para nossos alunos da rede pública, que, em grande parte, vive em situação de vulnerabilidade social. Por isso, termos uma escola da rede estadual se destacando como o melhor Ideb do ensino médio de Alagoas é motivo de muita alegria, pois sabemos como essa comunidade escolar precisou se reinventar para enfrentar os desafios da pandemia e recuperar as perdas educacionais ocasionadas pelo afastamento social”, ressaltou a secretária de Estado da Educação, professora Roseane Vasconcelos.

Reconhecimento

À frente da 7ª Gerência Regional de Educação (Gere), que contempla todas as escolas estaduais do Vale do Mundaú, Arthur Ferreira relata que o sentimento é de felicidade com o resultado obtido após grande mobilização. “Houve toda uma preparação e planejamento da equipe da Gerência com as escolas. Em todos os momentos estivemos juntos, observando, acompanhando, e, de fato, esse resultado chegou e nós estamos muito felizes”, afirmou.

Arthur Ferreira ainda comemora a superação das escolas após as dificuldades enfrentadas durante o cenário da pandemia. “Além de ter tido a escola com o melhor resultado do Ideb no Estado, nossa Gerência ainda registrou 100% de suas escolas com a participação na avaliação. Desse total, 50% das unidades atingiram o êxito com o aumento de seus índices de desempenho em relação ao último Ideb. Então, após nossos esforços, vimos que, mesmo depois de tudo que passamos, com a pandemia e todas as dificuldades, houve, sim, um avanço aqui na região, e, de forma geral, isso é muito gratificante”, pontuou.

Estratégias

Para amenizar os impactos da pandemia, as escolas, com apoio da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), adotaram estratégias pedagógicas e de gestão escolar no ano letivo de 2021. Dentre as quais estão a busca ativa por estudantes evadidos, avaliações diagnósticas e a complementação curricular com recomposição da aprendizagem. Essas práticas auxiliaram no alcance de bons resultados e na progressão dos índices do Ideb em todo o Estado.

Como exemplo de práticas pedagógicas bem sucedidas, a gestora da unidade de Ibateguara, Raabe Bispo, afirma que a busca ativa e o mapeamento pedagógico foram ferramentas cruciais para atingir o resultado expressivo no Ideb 2021.“A nossa escola atingiu um Ideb significativo e uma melhoria nas proficiências da avaliação porque nós investimos muito em formação continuada, colocamos em prática a busca ativa e, após um mapeamento, elaboramos um plano de ação com foco nas habilidades das matrizes da prova do Saeb. Assim, conseguimos aplicar simulados contínuos, sempre com reflexão e foco nos resultados de superação. Em um ano tão difícil como o de 2021, tivemos que nos reinventar e, hoje, afirmo que a busca ativa e o mapeamento do território foram os carros chefe desse resultado”, destacou.

A gestora ainda relata que o trabalho não para mesmo com a meta alcançada. “Estamos felizes, mas o sentimento que fica é de continuidade, temos muito ainda a fazer. Acreditamos que é possível contribuir ainda mais com uma participação coletiva e com um compromisso profissional para uma educação pública de qualidade”, completou.